Follow by Email

19 janeiro 2006

Técnicos de futebol & Pastores: Tudo a ver?

Vale a pena ler o artigo sobre a Pesquisa sobre técnicos de futebol, feita por uma das principais Escolas de Administração da Grã-Bretanha. Segundo a pesquisa, a razão do fracasso do futebol está diretamente ligado à velocidade com que os diretores trocam os técnicos de seus clubes.

Recomendo que vc leia primeiro a matéria clicando no link abaixo e depois leia meu breve comentário (espero que o link funcione)

Clique aqui para ler

Pois bem, depois de ler a notícia refleti sobre a troca frequente de pastores... e não é que parece que tem quase tudo em comum?

Se até nos meios esportivos já perceberam que o problema do fracasso do futebol não está ligado simplesmente à troca do treinador...
"Trocar o técnico nem sempre traz o melhor resultado."

Mutatis mutandis... e guardadas as devidas proporções, porque além de Organizacional e com estruturas humanas a Igreja tem (ou pelo menos, pressupõe-se que deveria ter) os aspectos que deveriam caracterizá-la: O Caráter Espiritual. Ela não é apenas uma Instituição humana. Podemos sim, comparar sua organização humana com a dos clubes de futebol...

Vamos ao ponto.
Quando será que algumas igrejas irão perceber a questão da mudança constante de Pastores afeta o seu desenvolvimento?

É bom lembrar e lamentar que alguns pastores não tem levado o Ministério Pastoral a sério, antes o tornam apenas um trampolim para seus projetos de vida pessoal. Parecem não lembrarem que deverão prestar contas não somente ao seu Presbitério ou Convenção, mas principalmente a Deus.

Contudo, quando será que a liderança Eclesiástica vai perceber que a razão do fracasso das igrejas está na falta de testemunho dos seus crentes em geral?


1) Nossas reuniões estão hoje concentradas exclusivamente intra-muros, isto é, entre as 4 paredes dos templos. Os "chamados para fora" inverteram seu papel e passaram a ser os "chamados para dentro".

2) Os crentes em sua maioria, perderam a autoridade espiritual para evangelizar seus amigos, vizinhos, parentes, pois se comportam como qualquer mundano.

Para conferir, leia no ORKUT os comentários que refletem muito bem o comportamento dos participantes de Comunidades Orkutianas de algumas igrejas históricas e "gospeis", muitos daqueles são membros "professos" dessas igrejas.

3) As reuniões de Estudos Bíblicos e de Oração são as menos frequentadas. Nas Escolas Dominicais as discussões são tão "acaloradas" que parecem luta de "vale-tudo" que espantam os visitantes.

Tais igrejas e suas diretorias e líderes deveriam analisar o seu procedimento em ficarem brincando de Campeonato interno ou Inter-Bairros, isto é, como se a Obra de Deus não tivesse valor algum.


Será que não percebem que o fracasso de suas igrejas está ligado ao apego ao poder político por parte de alguns poucos?

Nunca raciocinam grande... a longo prazo e com muita oração. Como se o Campeonato fosse Internacional... e é válido para a Eternidade!

Posso não concordar com algumas doutrinas do Dr. Peter Wagner, professor do Fuller Seminary do Texas. Porém, em sua tese sobre Crescimento de Igrejas, afirmo que é totalmente procedente. Testemunhei a veracidade deste princípio, pessoalmente, em meu ministério:
Dizia ele em 1983 num Congresso da SEPAL: "O pastor somente consegue implantar sua filosofia de ministério numa igreja num período entre 3 a 5 anos. Após isto, se não conseguir, mude-se e dê lugar para que outro o faça. Porém, se conseguir, fique por quanto tempo Deus permitir, se possível permaneça até envelhecer ou Deus te recolher."

Como, então, um pastor consegurá fazer isto se muitas igrejas tem eleição de 2 em 2 anos? E geralmente trocam de pastor.


Aliás, como os técnicos que não parecem pertencer aos times, o pastor parece ser um tipo de cristão descartável.

Por esse motivo, tais igrejas, não conseguem passar de igrejas deficitárias em recursos e em pessoal. São eternas igrejas capengantes. Nunca crescem!

Finalizando, quero contar aqui um fato que aconteceu numa certa igreja que pastoreei em meados da década de 80.


Ao chegar encontrei 45 frequentadores. Fizemos um trabalho de base nos primeiros meses, conseguimos o compromisso e o apoio da maioria dos membros da igreja e ela respondeu positivamente. Realizamos trabalhos de Evangelização pessoal e em massa dominicalmente em Praças Públicas e Cultos nos Lares durante semanas.

Em menos de 6 meses tínhamos uma freqüência assídua de cerca de 150 pessoas. Como é bom para um pastor ver seu trabalho dando resultados visíveis. Conversões de almas. Reconciliações com o Senhor. É bom dizer que tudo feito sem inovações e sensacionalismo!

Um domingo pela manhã um velho Presbítero, antigo naquela igreja, me chamou a um canto para contar-me de sua preocupação e me faz a seguinte observação:
- "Pastor, o Sr. tem percebido que nossa igreja está 'inchando'"?

Respondi a ele: "Irmão, acredito que o crescimento da igreja tem sido natural. Creio que é resultado de um trabalho consistente de todos nós, e com a Graça de Deus esta igreja será maior."

- "Sim, pastor." - continuou ele - "Mas veja, se chegarmos cinco minutos antes da hora de começar o culto já não encontramos lugar nem pra sentar!!! E o Sr. sabe o que pode acontecer daqui 1 ou 2 anos?"

- "Talvez a igreja cresça mais ainda e para isto estou trabalhando." - respondi. "Mas, o que tem durante este tempo?" - perguntei a ele.

Sem parar para pensar, ele afirmou (como se diz popularmente: "Ele soltou na bucha"):
- "ESSE POVO PODE VOTAR EM OUTROS PRESBÍTEROS E NÓS FICAREMOS SEM OS NOSSOS CARGOS!"
....

Adivinha quem saiu no final daquele ano? E aquela igreja voltou a ser aquilo que estava acostumada a ser... Isto foi verídico e tenho testemunhas e o endereço do local.

Meu prezado que está tendo a paciência de lêr-me até aqui, logicamente, percebeu qual era a motivação daquele velho "Oficial" daquela igreja, não é?

Portanto, amigo, muitas vezes é preciso trocar a Diretoria e alguns jogadores do time, senão não dá jogo bom! Falo "parabólicamente"... quem lê entenda...

Porém, pode ter certeza de que, já-já, os times de futebol mudarão seu procedimento, pois eles sabem o que querem...

E tenho dito!


Abraços

Caleb Castellani - sC*
(*servo de Cristo)

PS - (se vc vê algum valor no texto, autorizo a publicação. Pode citar também o nome do autor)

4 comentários:

  1. Caleb
    Bem vindo à blogosfera!
    É por aí mesmo, solte a sua voz e vamos trabalhar uma agenda positiva pro povo de Deus.
    Temos muito a discutir, envolvendo gente de todos os lados e cantos.
    Fique na paz! - e não deixe de passar lá no VF - volneyf.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. E AE? Parou? Parou por que?

    Caleb - sC - estou precisando de um material sobre a igreja local - vc tem? Me dê um toque - grato! abs

    ResponderExcluir
  3. Caleb, eu tenho um texto parecidissimo com esse do Pastor e o tecnico de futebol. So que o meu nao saiu da cabeca. Mas a semelhanca e enorme, porem, seria mais detalhado. Mudando um pouco, mas quase no mesmo assunto, penso que esse sistema nao pode continuar, o chamado coronelismo. Tenho outro texto ainda na mente, que certamente ocasionaria muitos comentarios e pauladas.A questao nao esta somente em alguns pastores, mas tambem na pessima escolha e qualificacao de certas pessoas que sao eleitas para a lideranca de nossas igrejas evangelicas. JM

    ResponderExcluir
  4. Amem!
    Que Deus continue te abençoando eternamente!

    Nilson Magalhães.
    http://dcnilson.blogspot.com

    ResponderExcluir

Você poderá deixar um comentário.
Ao terminar deixe seu nome completo, seu Blog (se tiver), sua cidade, estado e país.
Os comentários que não preencherem estes requisitos, deletaremos. Grato